terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Desvelar

Imagem: Orit Shachar

Nossas esperanças repousam no silêncio do esquecimento onde jazem sepultadas nossas indiferenças. Para além da lúcida claridade a força atinge o escuro caos, mesmo que o ócio consuma três-quartos do vosso haver, mesmo que ironicamente não desvelássemos os descaminhos.

José Lima Dias Júnior — 29.12.2015

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Nós

Imagem: Andi Halil, fotógrafo indonésio.

Sua ancestralidade abrange a totalidade de minha existência, numa dimensão verdadeiramente humana, quando se cruza em um primeiro plano com os elementos constitutivos que vão sendo agrupados em nossa consciência para experimentar o ritmo cotidiano da existência.

José Lima Dias Júnior — 25.11.2015

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Espaços de minha infância...

Imagem: Ajie Alrasyid, fotógrafo indonésio.


Em detrimento da minha espacialidade urbana haverá um avião no ar. No chão do mar seres abissais vibram a me ver quando juntos pisamos um afetivo solo, de modo a avivar pela magia das cores das manhãs e através de suas metáforas hipnotizarem os tons cinza tão presente no outro lado da rua.

José Lima Dias Júnior — 19.11.2015

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Antes do fim

Imagem: Lucian Olteanu, fotógrafo romeno.


Como o instante à espera de ser tempo
outra existência se molda a partir das sobras.
Mesmo que a vida se teatralize e os homens
cavem o vazio como espaço próprio,
mesmo que a alma escanda o rosto e chore.

Diante da iminência da morte, devemos fazer
da vida um espaço quase infinito.
É triste morrer antes de concretizar os sonhos.

José Lima Dias Júnior — 09.11.2015

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Nos mais variados matizes e cores

Imagem: Willy Marthinussen, fotógrafo norueguês.


Quando as limitações presentes subjazem
o presente contínuo movimenta-se no sentido oposto,
mesmo que a noite estancada avance irresistivelmente para o fim,
assim como de modo inelutável as águas seguem o caminho do rio,
nos mais variados matizes e cores.

José Lima Dias Júnior — 03.11.2015

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Inevitável

Imagem: Gilbert Claes, fotógrafo belga.

A vida, o tempo e a morte passeiam, pelo mundo, de mãos dadas. Sem a amizade, os três morreriam loucos. Mesmo que melancólico, o poente com sua grandeza não perde o encanto quando a noite se aproxima.

José Lima Dias Júnior — 30.10.2015

domingo, 18 de outubro de 2015

No âmbito do pensamento

Imagem: J. Jimenz, fotógrafo espanhol.


Subverter os instantes é intensificar a dor mesmo que se alastrando repita cegamente a dominação, mesmo que se tenha um vestígio de esperança, ainda que o tempo não explicite suas raízes e o devir — com toda sua envergadura — não se apresente com suas diferenças de percurso.

José Lima Dias Júnior — 18.10.2015

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Haverá...

Imagem: Banksy, artista de rua britânico.

Mesmo que haja uma distância inominável entre o silêncio e o grito haverá esperança, onde a manhã repleta de metáforas permitirá um sobrevoo da alma, produzindo um alargamento da vida.

O tempo que transcorre entre o instante do nascer do Sol e o do seu ocaso, talvez pela poética de suas cores, é atraente porque não propõe o desmoronamento da tarde, mesmo que a noite enraizada não se revele diante de um olhar cartesiano.

José Lima Dias Júnior — 16.10.2015

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

De uma totalidade incomensurável

Imagem: Leszek Paradowski, fotógrafo polonês.


Quando o dia encerra-se em si mesmo procurando nos conduzir aos mais recônditos caminhos, eis que a tarde saltando em cores transborda-se em alegria.

Quando a manhã, destemidamente, não para, eis que a tarde anuncia sua brevidade a fim de apreender o vazio, mesmo que a noite, em desatino,  consiga ruminar a luz que sobrou, pois ainda multicolorida esconde sua finitude quando tudo é fugaz e efêmero.

José Lima Dias Júnior — 12.10.2015

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Permanentemente atento

Imagem: Michael Bilotta, fotógrafo norte-americano.


Mesmo que os argumentos rigorosamente antiplatônicos não ganhem plausibilidade e sentido, a luz que te cerca não traz o rigor do dogmatismo, nem a subjetividade, aberta e veladamente, descolorindo as insuficiências das hipóteses tão decorrentes do exercício permanente da ironia.

José Lima Dias Júnior — 14.09.2014

domingo, 13 de setembro de 2015

Do inconsciente...

Imagem: Michael Bilotta, fotógrafo norte-americano.


Quantos elementos constitutivos irão de encontrá-los, onde o tempo transpassando sobre um quadro histórico amplo permanecia em silêncio, mesmo que os homens, ligeiramente perturbados, morressem loucos a se sentirem deslocados do mundo em que viviam.

José Lima Dias Júnior — 13.09.2015


Imagem: Michael Bilotta, fotógrafo norte-americano.

domingo, 6 de setembro de 2015

Não necessariamente no mesmo espaço

Imagem: Franco Maffei, fotógrafo italiano.


Há uma limitação quase sempre no mesmo espaço
que estabelece a forma do pensamento
mas o tempo parece não exigir que estabeleçamos
distinções nítidas e precisas apesar das nossas ideias.

José Lima Dias Júnior — 06.09.2015

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Da solidez do tempo

Imagem: Yvette Depaepe, fotógrafa belga.

O tempo é o mesmo diante da vida e da morte. Despojado de toda preocupação, ele avança com a solidez das horas obrigando cada um a se situar nessa história coletiva sem tornar claras as razões que seguem na direção de outros tempos, mas de revelar seu estado de espírito no momento.

José Lima Dias Júnior — 21.08.2015

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Da ação de colher

Imagem: Sherry Akrami, fotógrafa iraniana.


Colhi do tempo agreste rasgos de uma mística cristã, quase oculta no fundo das almas, que expressando um modo sereno e clemente adoçava a cor da luz da manhã.

José Lima Dias Júnior — 18.08.2015

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Pelo sentido da existência

Imagem: Ajie Alrasyid, fotógrafo indonésio.

Nem todo lado obscuro é um avesso sombrio, ainda que o calor fornecido, sem emissão de luz, seja indistinto aos nossos olhos, que sem nobreza se perdem confuso naquilo que é pouco definido.

José Lima Dias Júnior — 11.08.2015

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Exteriorizar

Imagem: Jay Satriani, fotógrafo indonésio

Quando um instante incômodo e provocativo denuncia a mesquinhez e as trapaças ocultas sem ofuscar a obsessiva esperança, que permanentemente metafórica se vai para além-do-homem, eis que a luz aflorando da sombra [entre sóis] é capaz de desvendar os labirintos d’alma humana.

José Lima Dias Júnior — 10.08.2015

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Das ressignificações...

Imagem: Franco Maffei, fotógrafo italiano.


Compor um tempo farto e representativo 
indicando a possibilidade de liberdade 
é compreender os sentidos e apreciações 
que nos orientam e nos movem para o bem 
ou para o mal.

José Lima Dias Júnior — 05.08.2015

quinta-feira, 23 de julho de 2015

A transformação do mundo a partir de si mesmo

Imagem: Abi Basiri, fotógrafo canadense


Estabelecer novos pontos de vista e novas ideias
sem abandonar o ser livre e autônomo que há em nós
é criar novas significações sem legitimar a ordem estabelecida.

José Lima Dias Júnior — 23.07.2015

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Entre a consciência e o mundo

Imagem: Nadia Su, fotógrafa portuguesa.


Alinhavei minha subjetividade compulsiva com pontos largos para compreender os limites de cada manhã, onde os desvalidos [não necessariamente marginais] tão desprezados desfaz o ponto nodal da intolerância sem eliminar a vitalidade existencial de cada ser, embora as linhas que compõe a trama social sejam indefinidas.

José Lima Dias Júnior — 08.07.2015

domingo, 5 de julho de 2015

No vão dos dias

Imagem: Camelia Popescu, fotógrafa romena.


Há no vão dos dias uma “impossibilidade intransponível”
que engendra os dilemas da práxis humana, ainda que
os organismos históricos não delineiem o tecido social.
Quando a pequena parte é vasta para quem não tem nada,
o todo parece insuficiente para quem tem tudo.

José Lima Dias Júnior — 05.07.2015

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Decurso do tempo

Imagem: Google


Pela pequena abertura da fechadura vi o passado...
Um tempo cristalizado me conduzindo ao presente,
onde a imediaticidade das horas não esconde
a particularidade absoluta do tempo.

José Lima Dias Júnior — 29.06.2015

sexta-feira, 26 de junho de 2015

A cada manhã...

Imagem: Qin YongJun, fotógrafo c hinês.


Colhi de cada manhã proposições abstratas,
cujo um mundo morrendo de velhice negava
toda temporalidade dada.

De forma difusa a luz, latente, torna explícita
a intensidade revigorada do anoitecer,
ainda que as velhas estruturas invadam seu horizonte
e ligue de maneira orgânica cada um dos elementos,
onde o tempo observa e descreve simplesmente
a singularidade das manhãs.

José Lima Dias Júnior — 26.06.2015

domingo, 21 de junho de 2015

Reinventar-se é preciso

Imagem: Pavol Delej, fotógrafo esloveno.


Inventar o caminho é garantir a sobrevivência, se assim se preferir. É reinventar-se enquanto empreendimento humano, mesmo que o tempo presente prenhe de elementos constitutivos não seja capaz de gerar a existência, onde os movimentos súbitos e as manifestações espontâneas de vidas se recusam e se ampliam reciprocamente transmitindo seus significados.

José Lima Dias Júnior — 21.06.2015

terça-feira, 16 de junho de 2015

E assim por diante...

Imagem: Leonie Kuiper, fotógrafa holandesa.


Quando tudo
estiver fora de nosso alcance
eis que a esfera da singularidade
num drama fundamentalmente subjacente
mostrará claramente a evidência de suas últimas horas,
onde a realidade não é fictícia a partir de cada um dos pontos
menores.

José Lima Dias Júnior — 16.06.2015

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Quando as cores revelam

Imagem: Franco Maffei, fotógrafo italiano.


Toda obra traz as marcas
de uma subjetividade compulsiva
mesmo que isolado o homem não perceba
nas cores tateantes o ser em si.

José Lima Dias Júnior — 10.06.2015

domingo, 7 de junho de 2015

Despretensiosamente

Imagem: Franco Maffei, fotógrafo italiano.


Despretensiosa a luz
voluntariamente ambígua impõe
um ângulo que realça dimensões ocultas,
mas é impossível negar que ela lança um novo lume
para além daquilo que não enxergamos.

José Lima Dias Júnior — 07.06.2015

Ao tempo e ao espírito

Imagem: Jan Moller Hansen, fotógrafo dinamarquês.


Pela sua amplitude e complexidade
examinei meus argumentos,
ainda que crítica, a qual permitiria
apreendê-la em sua natureza temporal.

José Lima Dias Júnior — 03.06.2015

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Entre ideias e imagens

Imagem: Ben Goossens, fotógrafo belga.


O que é a vida se não esse “intercâmbio dialético”
onde as ideias em movimento estabelecem
as transformações da matéria.
Que a linha do horizonte seja
a extensão dos meus anseios,
de modo que a alienação não caia sobre mim,
antes do término da vida.

José Lima Dias Júnior — 25.05.2015

domingo, 17 de maio de 2015

Haverás

Imagem: Mikko Lagestedt, fotógrafo finlandês.


Caso exista uma extensão no vão do vazio,
cuja essência é fruto da mesma luz,
haverás de edificar a senda
mesmo que numa inábil tentativa
o homem não construa sua redenção.

José Lima Dias Júnior — 17.05.2015

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Atividade pensante

Imagem: Koki  Jovanovic, fotógrafo sérvio.

Há diferentes maneiras
de pensar a natureza,
a matéria e o homem
mesmo que não haja
uma grandeza sem figura
ou sem movimento.

José Lima Dias Júnior — 13.05.2015

sábado, 9 de maio de 2015

Contemplativo

Enrico Facchetti, fotógrafo italiano.

Imaginei a existência gerada pela energia de uma estrutura cósmica onde os olhos trazem consigo a lembrança permanente da retina que enxerga o real, questionando todas as coisas, para demonstrar as possibilidades e as limitações do indivíduo mesmo que tenhamos que suportar o frio de uma manhã inexistente. O homem definha se é reduzido a nada.

José Lima Dias Júnior — 09.05.2015

Imagem: Enrico Facchetti, fotógrafo italiano.

sábado, 18 de abril de 2015

Desvendando significados alegóricos

Imagem: Erik Johansson, fotógrafo sueco.


Quando há harmonia entre as formas e as cores
as imagens carregam em si um conceito mais amplo
ao traduzir a metáfora da luz, embora os instantes translúcidos
não estejam destituídos da substância temporal.

José Lima Dias Júnior —18.04.2015

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Cotidianamente

Imagem: Google/Web


Há no cotidiano periférico vidas desfiguradas
onde a solidão, o abandono e a violência
evidenciam a realidade diária das ruas
mesmo que cada um de nós
não se dirija imediatamente ao ser do outro.

José Lima Dias Júnior — 03.04.015

terça-feira, 31 de março de 2015

Um ser em ato

Imagem: Mohammadreza Momeni, fotógrafo iraniano.


Quando os instantes mais hostis se reconciliarem
talvez a aridez da indiferença termine entre o ato e o ser.
Aperceberemos os sinais desconhecidos do presente,
já que as manhãs renascendo de um tempo refratário
[mesmo perdendo suas propriedades substanciais]
tornam-se insubmissas.

José Lima Dias Júnior — 31.03.2015

segunda-feira, 30 de março de 2015

Seja em que tempo for

Imagem: Franco Maffei, fotógrafo italiano.


Quero uma cidade sem muros
onde as criaturas humanas
não sejam condenadas ao silêncio
mesmo sabendo que a angústia do presente
não difere do tormento que aconteceu ontem.

Não há liberdade sem pão na mesa, seja em que tempo for,
mesmo que a hipocrisia e a indiferença disseminem-se
facilmente pelas ruas.

José Lima Dias Júnior — 30.03.2015

sábado, 28 de março de 2015

Da necessidade de compreender o presente

Imagem: Sebastian Kisworo, fotógrafo indonésio.


É necessário um movimento
que atravesse a obscuridade dos dias
[sem desconsiderar os devaneios animistas]
se desejamos compreender o valor das coisas “insignificantes”,
mesmo que não haja desacordo entre a luz e a sombra.

José Lima Dias Júnior — 28.03.2015

sexta-feira, 27 de março de 2015

Ato de conviver

Imagem: Sebastian Kisworo, fotógrafo indonésio.


Que belo artifício humano é a linguagem,
mas o homem no âmbito do convívio comum
parece cristalizar as manhãs mesmo não estando
amparado em imperativos divinos.

José Lima Dias Júnior — 27.03.2015

terça-feira, 24 de março de 2015

Por vias paralelas

Imagem: Paz Mateos


Deslocando continuamente a sua subjetividade
é que minhas insânias metafísicas percorrem por vias paralelas,
onde a vida coagida renasce num instante amargo, acre, doloroso,
mesmo que o trágico desfigure o amanhã.

José Lima Dias Júnior — 24.03.2015

terça-feira, 17 de março de 2015

Da rua antiga

Imagem: Prof. Rafael Rodrigues, Casario da Praça Dom Adauto, Alagoa Grande-PB.


Percorrendo a cidade vejo
a rua antiga sendo modificada.
Olho o passado e o presente se entrecruzarem
na medida em que o tempo passa,
onde as cores silentes das minhas lembranças
se negam acompanhar o ritmo das transformações,
uma vez que minh’alma não se reconhece mais
perante o novo espaço.

José Lima Dias Júnior — 17.03.2015

segunda-feira, 16 de março de 2015

Ato de esperar

Imagem: Giuseppe Grimaldi, fotógrafo italiano.


Teus dias são dicotômicos
divididos em dois mundos
a partir do mesmo ponto.

Um é poético e vocabular
o outro é insano e desregrado
através da pluralidade de sentidos.

Cada instante traça o percurso
do teu destino atlântico em movimento,
que reforçado pela presença de esperança,
ameniza a ausência com o ato de esperar.

José Lima Dias Júnior — 16.03.2015

sábado, 14 de março de 2015

Cotidianamente


Imagem: Majid Alamri, fotógrafo omanense.


Por entre o arrebol, a luz abre caminho.
E a esperança que salta em órbitas,
tem os olhos adornados pelos espaços vazios
onde o homem embrulha em negras cores
a dureza e o peso da vida diária.

José Lima Dias Júnior — 14.03.2015

Observando o movimento das águas

Imagem: Harry Kramer, fotógrafo alemão.


As águas oceânicas
conseguem universalizar seu canto
mesmo que as torrentes se manifestem
por entre as fendas do indizível
e com alterações acontecidas do cenário abissal,
ainda que o amanhã esteja cercado de mistério;
obscuro, indecifrável.

José Lima Dias Júnior — 13.03.2015

quinta-feira, 12 de março de 2015

Anelo

Imagem: Sayan Sarkar, fotógrafo indiano.


Arquétipos coloridos
apresentam imagens
abstratas e imprecisas
onde a esperança desabrocha
do florescimento dos desejos
mais intensos.
E a tez da manhã, ainda,
em estado nascente
flui inexoravelmente, rumando
para o destino do fim.

José Lima Júnior — 12.03.2015

quarta-feira, 11 de março de 2015

Das coisas e do tempo

Imagem: Martin Sander, fotógrafo alemão.


Moro no lugar onde o tempo
esqueceu de passar...
onde os antigos casarios
[com suas cores múltiplas]
são ecos silenciosos
por entre a memória transeunte
de um fim de tarde que não se vê.

José Lima Dias Júnior — 11.03.2015

terça-feira, 10 de março de 2015

Na existência de cada dia

Imagem: Ali Ayer, fotógrafo turco.


Ultrapassar a nossa humanidade limitada
é transfigurar o cotidiano,
ainda que as nossas angústias ocorram
na existência de cada dia,
sem negar a si mesmo.

José Lima Dias Júnior — 10.03.2015

sexta-feira, 6 de março de 2015

Sobre a condição humana

Imagem: Sayan Sarkar, fotógrafo indiano.


Um tempo histórico raro salienta que
há sempre (um) outro ponto de partida
mesmo que um descrente sensato (como eu)
diga que não há outro ponto de chegada.
Que a verdadeira fé repousa na neurose dos insensatos.
Embora, não estejam protegidos contra o “desamparo humano”.

José Lima Dias Júnior — 06.03.2015

Universo débil renitente

Imagem: Sayan Sarkar, fotógrafo indiano.


Há um vínculo placentário entre a vida e a morte
onde o tempo recolhendo os instantes que flutuam
faz o homem mergulhar num universo débil renitente
ao ampliar sua infelicidade na ilusão que o criou.

José Lima Dias Júnior — 06.03.2015