sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Rompendo a indolência


Levar luz até a obscuridade
não torna sua ação um esforço estéril.
Mas penetrar em recintos completamente inacessíveis
é abrir os portões que protegem nossas fraquezas
sem reverenciar a submissão e dominar quem nos aprisiona.

As linhas e os limites que nos separam e nos distinguem
consistem no delineamento das distintas partes do espírito
bem como examinar seriamente a natureza humana
quando se pensa viver tranquilo todo o resto do tempo.


José Lima Dias Júnior – 28.02.2014

Para além do bem e do mal


Observando a abstrata alma humana
vi que as diversas atitudes derramam
diferentes sentimentos para além do bem e do mal.

Diante de nós as aparências exteriores
e as patentes da vida cotidiana parecem descrever
os sentidos da existência que se escorregam pelo alvorecer
cuidadosamente cultivado por alguns.


José Lima Dias Júnior – 27.02.2014

Seu olhar


Quando minh’alma precisou de algum repouso
fui arrastado em demasia pelo brilho do seu olhar
que ficou latente em desejos com sabor de avelã.

Um pensamento inconsequente punia-me severamente
quando a incerteza sem fim das manhãs nos envolvia
ao desfrutar livremente de seu próprio gosto e sentimento.


José Lima Dias Júnior – 27.02.2014

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Solidão amável


Quando me desprezaste permaneci
inteiramente destituído de toda espécie de gosto
porém não me afastei em demasia da vida.
Nos limites do entendimento humano
procurei na solidão um divertimento – uma companhia agradável – 
apesar da extensão das minhas inquietações.


José Lima Dias Júnior – 27.02.2014

Desenho a lápis


À Letícia Lima, minha sobrinha, dedico.

Levantei os olhos e acompanhei
o movimento da rua  umedecido pela chuva
cuja tez surrada e desbotada da manhã
expressava minha infância quando tracei a lápis
a linha circular em que o mar parecia unir-se ao céu
no instante em que a tinta atingia a superfície do papel.


José Lima Dias Júnior – 26.02.2014

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

A resistência de um homem ao mundo

A caravela - Salvador Dalí

Resistindo à opressão –
com os postulados fundamentais da civilização –
experimentei todos os tormentos.
Não obedecendo e nem temendo ser repreendido ou castigado
por um demiurgo que nos força a aceitar sua norma eterna
amparei-me nos últimos vestígios atávicos daquela extrema solidão.


José Lima Dias Júnior – 26.02.2014

Na eternidade das horas


Visando a eternidade do silêncio
cruzei a linha do horizonte,
onde os homens em marcha
preferem se ocultar nas sombras.
Subordinado a ti fiquei
quando os resíduos das horas
foram obscurecidos por vagos absolutos
já que nossa amizade parecia se acabar.


José Lima Dias Júnior – 26.02.2014

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Resistir


Reagir a cada instante
para alterar o curso inteiro de uma vida
não faz diferença sequer para um inerte inveterado.
Abrir mão da passividade
para permitir a reação é necessário,
mesmo que a realidade não tenha sido abolida.


José Lima Dias Júnior – 25.02.2014

Ego abstrato


Seus impulsos mais ocultos
tornam-se completamente livres
quando se confronta com algo absoluto e esmagador.

Quantos artifícios inventados
a fim de poder se preservar a si mesmo
e esvaziar o ego abstrato de toda substância impura
que de tão degradada não cura a solidão que me consome.


José Lima Dias Júnior – 25.02.2014

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

No instante em que partiste


Minh’alma melancólica
tateando encontrou a solidão
que tão lânguida se reconciliava
com a esperança na hora em que partiste.

José Lima Dias Júnior – 24.02.2014


Imagem: Ricardo Leitão

Sujeito humano


O temporal que envolve a sua própria fé
queima na fogueira o sangue derramado...
Em vez de nos apegarmos as indiferenças
deixem-me sentir a subjetividade dos dias
sem que o sujeito humano seja esvaziado
de qualquer conteúdo.


José Lima Dias Júnior – 24.02.2014

Escolhas



Um ponto de inflexão fora da curva
anuncia a exceção que confirma a regra.
Como não foste capaz de fazer as próprias escolhas
ficaste a contemplar diante da solidão a saudade embalada
pelo silêncio que dormia.

José Lima Dias Júnior — 23.02.2014

Quando te esperei



O céu perdeu a cor
quando a luz dos olhos seus
percorreu o horizonte em busca da esperança.
Sua ausência segue além das fronteiras
delimitadas pelo desejo que nos separa.

José Lima Dias Júnior – 21.02.2014


Foto: Martin Rak

Alienação



O espírito alienado
que nega a própria existência
traz consigo uma visão que obscurece
mais do que clarifica a realidade subjacente.

José Lima Dias Júnior – 21.02.2014

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Opostos




Acobertada pela presunção implícita das palavras
sua filosofia parece um auto-engano quando suspende 
o significado e a função do pensamento dialético
no instante em que a nossa razão sofre da mesma incapacidade
e ignoramos a contradição inerente aos nossos princípios ainda que
tecemos os fios dos nossos destinos no desejo infinito de amar.


José Lima Dias Júnior – 21.02.2014

Minha loucura


A loucura esquiva-se da realidade mórbida
sem negar a melancolia das manhãs de anis,
cujo exorcismo das almas inertes
se ergue com firmeza contra o obscurantismo
que permeia a existência humana.


José Lima Dias Júnior – 20.02.2014

Incerta verdade


Como qualquer credo existente
a verdade suprema penetra num terreno dúbio
independente dos tolos serem santificados pela inclusão do perdão.
Mas os postulados da crença cega dogmática
parecem encardir a existência humana, a expensas da ignorância.


José Lima Dias Júnior – 19.02.2014

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Forjando a verdade


Quando a verdade se forja
na dissolução das crenças congênitas
o limbo da heresia não pode se tornar o liame
entre todas as criaturas submissas ao homem.

José Lima Dias Júnior – 18.02.2014

Palavras


Quando o enredo de homens e mulheres
apresenta-se destituído do rigor lógico
as palavras se entrelaçam a alma
perpetuando a especificidade do viver.


José Lima Dias Júnior – 17.02.2014

Tolerar é possível


Para nos salvar dos caos é necessário destruir
o último vestígio de intolerância que tenta se opor
a ética e a moral estabelecidas que ilustram nossos
dias.

Aquilo que se revelaram demasiado frágeis
tem que ser fortalecido não servindo apenas
ao propósito de preencher uma lacuna.

Compartilhando o destino de todos os homens
seremos mais humanos quando partilhamos e transformamos
os poderes constituídos em mecanismos viáveis para a cultura de paz.


José Lima Dias Júnior – 17.02.2014

Itinerário habitual


A rotina me fez andar em círculo
quando não sabia em que direção seguir
já que o tempo e o espaço foram reduzidos.


José Lima Dias Júnior – 16.02.2014

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Saudades


Restam-me saudades de você
quando trafego por entre
o nosso mais profundo sentir.

Das palavras e do tempo
que restou de nós dois produzindo ecos
em um ambiente de sensações e afetos
surgia a solidão dentro de mim.


José Lima Dias Júnior – 16.02.2014

Renascer


Após a minha morte quero renascer
dos fragmentos que deixei pelo caminho
e descobrir novas espécies de existências
projetadas numa tela, onde uma criança dormente
padroniza e classifica, em sonhos,
os seres humanos antes mesmo de nascer.


José Lima Dias Júnior – 16.02.2014

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Entre nós

Imagem: Pedro Figueiredo, escultor português/Google.

Uma expressão vazia e tão angustiada
precisa dos efeitos práticos imagináveis do objeto
que a envolve para ser almejada por si mesma.

Posso morrer ou por fim descansar
quando a senda  que me leva até você
seja um meio de alcançar a existência.

A consistência dos meios sobre os fins
não representa a esfera do distanciamento entre nós
e nem a inverdade do seu tempo.

José Lima Dias Júnior – 15.02.2014

Sob condições diferentes


Por entre as zonas verbais projetei
um traçado sobre as coisas existentes
seguindo o pragmatismo das manhãs
mesmo experimentando condições diferentes.

José Lima Dias Júnior – 14.02.2014

O âmago


A alma em sua própria existência
é a extensão do infinito onde os ais
se vão em gritos mostrando quão ilusórias
são as verdades absolutas que nos conduzem
à instabilidade.


José Lima Dias Júnior – 14.02.2014

A práxis cotidiana dos homens

Romeiros em Juazeiro do Norte, Ceará/Foto: Danielle Lima - 2014

Reconheci entre os nexos
que conhecer a historicidade do real
é compreender o mundo e a realidade
que rege as relações humanas e sociais.

Os homens transformam a si mesmos
quando modificam a realidade a sua volta
e não como algo alterado por qualquer força
transcendente.

José Lima Dias Júnior – 14.02.2014


sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Vínculo




Fui mal compreendido justamente por aqueles
que repugnavam  a minha contemplação.
Tentando escapar do caráter contrário da realidade
enxerguei o incognoscível que há em mim quando
produzi meu próprio mundo.

Sem efetivamente submeter à sua vontade 
compreendi que o mundo não se restringe 
aos limites da nossa indiferença
mas à busca pelas próprias conexões objetivas 
que ligando um ao outro estabelece um vínculo entre você e eu.


José Lima Dias Júnior – 13.02.2014

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Eu e Aion (Tempo)

Imagem: Antanas Sutkus, fotógrafo lituano.

Ao nascer
recebi como espólio
os fragmentos póstumos do único padrão moral
do homem labiríntico e paradoxal.

Fiquei inglório quando genealogicamente
fui abandonado antes do nascedouro.

Enclausurado pela latente temporalidade dos dias
divinizei o caráter existencial do ser humano
quando num instante mágico rompi
com a ordem normativa de toda medida.


José Lima Dias Júnior – 13.02.2014

Pelas ruas

Imagem: Antanas Sutkus, fotógrafo lituano.

Quando tentaram estrangular a esperança
os signos verbais definiram e entraram em cena.
Na medida em que meus olhos contemplavam o infinito
senti o Universo e respirei as ruas onde habitavam as dores,
os medos e as angústias das almas frias já que os homens
nos condenaram a viver como inválidos.


José Lima Dias Júnior – 13.02.2014

Entreolhar-se


A seus olhos
sou um estranho
que se afastando
de minha natureza animal
sou levado pelo desejo insano
de compreender o outro ao meu olhar.


José Lima Dias Júnior – 12.02.2014

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

O homem e seu tempo


Em busca de si mesmo
demarquei a linha tênue entre o “eu”
e os diversos “eus” que há em mim.
Um demônio outro querubim.

Sem interesses escusos servi de guia
para o homem travestido de máscaras
que o impede de enxergar a si mesmo.


José Lima Dias Júnior – 12.02.2014

Traço esquizofrênico


Um traço esquizofrênico gerou
uma série de emoções fortuitas
característico de minha subjetivação.

A arte que criei separada do caos
foi o único modo aceito de sentir a vida
mostrando quão ilusórios são os desejos
que seguindo através dos tempos
encontram justificação em sua própria existência.

José Lima Dias Júnior – 11.02.2014


Imagem: Ornitorrinco.net.br

Nossas lembranças

Imagem: Antanas Sutkus, fotógrafo lituano.

Esvaia-se juntamente com todas outras emoções
As nossas lembranças que deixamos cair pelo caminho.
E o passado parecendo triste já não mais sorria diante de nós
Quando o tempo observou isso com grande amargura.


José Lima Dias Júnior – 11.02.2014

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Diante da experiência humana


Convencido fiquei
quando durante o resto da vida
compreendi inteiramente a ausência
de significado das coisas.
Lembrei-me dos nossos gostos
formados na primeira infância
e como andarilho conheci a inquietação
diante da experiência humana que se tem
ao servir a um determinado propósito.

José Lima Dias Júnior – 11.02.2014

Um mundo de cores


Os jardins que cultivei em louvor aos deuses
desejados ou desprezados, de outro modo,
tornaram-se não só indiferentes como falsos
em meio ao seu olhar.
Lá onde as estrelas varriam cuidadosamente
todos os dias o chão das minhas manhãs,
cuja atmosfera em flor enfeitava a sala de estar.

José Lima Dias Júnior – 10.02.2014


Imagem: campos de tulipas — Holanda

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Quando fruíam os desejos


Como expressão de meros desejos subjetivos
acreditei que a duração de tempo de sua existência
poderia despertar uma Manhã apenas para descobrir
que seus anelos mais acalentados eram simples quimeras.

Tendo vivido até agora dos resíduos desses desejos,
presumivelmente livres,
ainda persistem traços já há muito tempo esquecidos
de olhares latentes em busca do calor de qualquer prazer.


José Lima Dias Júnior – 10.02.2014

Aos olhos do homem comum

Desenho: Márcio Santos

Aos olhos do homem comum tudo é natural,
divino e incontestável.
Atado pelos ditames de uma ideologia sólida
não pode se levantar contra a tirania.
Desatento e absorvido por uma verdade absoluta
raciocina a partir de premissas estreitas e insuficientes,
embora seja interiorizada pelos indivíduos
no curso da vida em sociedade.


José Lima Dias Júnior — 09.02.2014

O ato de pensar


Quando os resíduos mitológicos
dotaram as palavras de um caráter mágico,
o homem circunscreveu através do ato de pensar o seu destino
mas esqueceu de dissolver o dogmatismo, a superstição
e o obscurantismo aceitando as coisas como são
ao invés de questioná-las.


José Lima Dias Júnior — 09.02.2014

Sua intenção


Não se esvairão nossa conduta ética
nem a estrutura harmoniosa do universo eterno
quando vossa intenção era abolir a verdade
e execrar os dias já tão perseguidos e torturados.

Em desacordo não queria
que cada um vivesse a sua própria existência
dentro dos muros do vosso comportamento
onde o tempo sublinhado
eliminava o incômodo das simples abreviações
que parecia refletir o interesse de si mesmo.


José Lima Dias Júnior – 08.02.2014

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Tendências opostas


Desprovidos de significado em si mesmos
vivi sob determinadas fronteiras puramente seculares.
Sem castigar a fera humana
solidificaram-se as relações céticas
promovendo o debate de tendências políticas opostas
como reflexo da verdadeira natureza das coisas.


José Lima Dias Júnior – 08.02.2014

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Ultrapassar a intolerância


Imagine se nossos impulsos, intenções
e, finalmente, nossas decisões últimas
fossem tomadas em prol da coletividade
onde o homem não pudesse discriminar o outro
e a partir delas aderisse à tolerância  
que de modo tão definitivo e racional
ultrapassasse os atos eticamente condenáveis.


José Lima Dias Júnior – 07.02.2014

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Longo tempo


Um longo tempo
predomina sobre todos os seres
incluindo o homem e seus fins.
Mas a vida humana parcialmente limitada
parece não buscar a autopreservação
e nem o interesse por si mesmo
quando não objetiva viver à luz da razão.


José Lima Dias Júnior – 06.02.2014

O pensamento


Só pelo pensamento é que podemos lançar
alguma luz sobre a natureza humana sem
obliterar a própria essência da razão.

A hesitação e o embaraço humano
parecem muito obscuros para ser expresso em palavras
quando de olhos abertos vejo o Homem isolado dizendo que
não há nada a ser indagado diante da realidade que nos cerca,
já que os meios e os fins se mostram essencialmente úteis.


José Lima Dias Júnior – 06.02.2014

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Nossas pulsões


No interior dos seus limites
habitam nossas pulsões mais íntimas
quando mergulhamos no espaço abissal
da existência microscópica de  nós dois.


José Lima Dias Júnior – 05.02.2014