domingo, 25 de dezembro de 2016

sobre-humano

Imagem: Ali Noohi, Irã

Ao contemplar os aspectos antagônicos
tencionei compreender os laços que se entrecruzam...
Um ponto que remetesse aos fios estendidos na trama, 
embora fictícios, teciam formas e temas sobre uma perspectiva sombria.

José Lima Dias Júnior — 25.12.2016

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Revisitando


Imagem: Mario Grobenski, Croácia.


Como um organismo vivo,
revisitei as fronteiras do teu pensamento
sem ‘migrarmos de nós’, onde o diálogo é
a intersecção entre os vagarosos silêncios.


José Lima Dias Júnior — 22.12.2016

domingo, 18 de dezembro de 2016

Vivência


Imagem: Dana Grethen, EUA


Nos espaços da minha infância 
os sonhos acalentavam os incômodos,
onde a esperança era maternidade poética, 
ternura simétrica... horizonte sem fim.

Sem nenhum aprimoramento estético, 
coube às manhãs promover certos arranjos metafóricos, 
cujo tempo imprimiu vida nos desvãos do silêncio.

José Lima Dias Júnior — 18.12.2016

Por cada ângulo


Imagem: Danny Zappa


viajar por diversos espaços 
é ressaltar as facetas de cada ângulo, 
é constituir a espacialidade  pela alquimia da palavra. 


José Lima Dias Júnior — 17.12.2016

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Desvelar

Imagem: Orit Shachar

Nossas esperanças repousam no silêncio do esquecimento onde jazem sepultadas nossas indiferenças. Para além da lúcida claridade a força atinge o escuro caos, mesmo que o ócio consuma três-quartos do vosso haver, mesmo que ironicamente não desvelássemos os descaminhos.

José Lima Dias Júnior — 29.12.2015

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Nós

Imagem: Andi Halil, fotógrafo indonésio.

Sua ancestralidade abrange a totalidade de minha existência, numa dimensão verdadeiramente humana, quando se cruza em um primeiro plano com os elementos constitutivos que vão sendo agrupados em nossa consciência para experimentar o ritmo cotidiano da existência.

José Lima Dias Júnior — 25.11.2015

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Espaços de minha infância...

Imagem: Ajie Alrasyid, fotógrafo indonésio.


Em detrimento da minha espacialidade urbana haverá um avião no ar. No chão do mar seres abissais vibram a me ver quando juntos pisamos um afetivo solo, de modo a avivar pela magia das cores das manhãs e através de suas metáforas hipnotizarem os tons cinza tão presente no outro lado da rua.

José Lima Dias Júnior — 19.11.2015