sábado, 31 de maio de 2014

Da ressurreição do humano

Imagem: Robert Moderator, fotógrafo alemão.


Além de qualquer começo aparente
escondem-se todas as dores infinitas
tão presente em nosso próprio vazio
onde um olhar tão silencioso
é senão o vazio do meu próprio rastro.


José Lima Dias Júnior – 31.05.2014

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Antes do fim

Imagem: Darko Cuder, fotógrafo esloveno.


Antes da morte os homens deixam
em torno de si vestígios verbais
em um entrecruzamento indistinto
no qual sua obra se revela,
em todos os seus fragmentos,
quando estamos separados
por nosso pensamento que esconde
e manifesta ao mesmo tempo
a nossa condição humana.


José Lima Dias Júnior – 30.05.2014

Vagos instantes

Imagem: Markus Studtmann, fotógrafo alemão.


Entre os instantes que o tempo pariu
existem hiatos até agora não preenchidos
pelos movimentos vivos
(de fragmentos póstumos)
quando ocupa um espaço indeterminado.

José Lima Dias Júnior – 30.05.2014

quinta-feira, 29 de maio de 2014

De modo mais fecundo

Imagem: Markus Studtmann, fotógrafo alemão.


Os instantes fragmentados,
de modo mais fecundo,
se organizam entre si
quando ultrapassa qualquer sistema.

O tempo com seu movimento ininterrupto
dissolve todas as realidades existentes
quando reduz os homens ao silêncio.

José Lima Dias Júnior – 29.05.2014

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Em direção do porvir

Imagem: Marei, fotógrafa alemã.


Quando os olhos em silêncio declinaram timidamente
o tempo a cada instante se distanciava
estabelecendo suas medidas de um lado e de outro
onde os homens cavando covas para definir seu próprio caminho
viam a esperança tateando em direção do porvir.


José Lima Dias Júnior – 28.05.2014

terça-feira, 27 de maio de 2014

Quando as coisas são mantidas a distância pela indiferença...

Imagem: Darko Cuder, fotógrafo esloveno.


E os homens redivivos
cortam miudamente o tempo
como se ele unisse, continuamente,
encadeamentos assimétricos que nenhuma análise
poderia desfazer sem abstração as obscuras sínteses
que o espírito humano criou.


José Lima Dias Júnior – 27.05.2014

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Quando tempo silenciou

Imagem: Darko Cuder, fotógrafo esloveno.



Em silêncio o tempo decifra
os rastros deixados pelos homens
para reencontrar o frescor de suas lembranças
quando no deslocamento do descontínuo
atingimos a matéria inerte e experimentamos
as metáforas da vida.

José Lima Dias Júnior – 26.05.2014

domingo, 25 de maio de 2014

Quando os homens se movem

Imagem: Rachmad Sofyan


Os homens se movem
ao redor da Existência
em órbitas socioeconômicas
cujos elementos subjetivos
fazem parte de nosso processo criativo
mesmo que vestidos em vestes diferentes
quando tentamos transpor as limitações da vida diária.

José Lima Dias Júnior – 25.05.2014



ordem conceptual

Imagem: Rachmad Sofyan, fotógrafo indonésio.


Embora me fizesse em pedaços
interliguei as partes para conhecer
o todo que desconhecia em mim.

Se a gente olhar direitinho verá
que o cosmo, a rigor , concebeu
a natureza de vida
e de modo mais fecundo o ser humano.


José Lima Dias Júnior – 24.05.2014

sábado, 24 de maio de 2014

de nossa própria condição...

Imagem: Nicholas Javed, fotógrafo polonês.

entre as partes e o todo
entre o todo e as partes
há pedaços separados
e fragmentados pelo tempo.

entre os instantes decaídos
que dilui tudo que é subjetivo
há uma dimensão humana,
mesma que isolada.

entre o sim e o não há o espírito
inteiramente desprovido
da possibilidade de pensar quando aceita
o erro ou a ilusão como tudo o que é humano.

José Lima Dias Júnior – 24.05.2014


sexta-feira, 23 de maio de 2014

Sob a quinta-essência...



As coisas movem-se no éter universal
onde qualquer conduta de reação
dificilmente inteligível e desconhecida
não mostra de que modo à realidade é entendida por nós
já que somos movimento e inércia no mundo sublunar.


José Lima Dias Júnior – 23.05.2014

Tão distante de nós



Fragmentos de poeira cósmica
se cruzam sem se reconhecerem
tamanha é a vontade de ser universo
e atingir às grandes unidades ininterruptas
cada vez mais distante de nós.

José Lima Dias Júnior – 23.05.2014

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Desejo

Imagem: Pietrino Di Sebastiano, fotógrafo italiano.



Que caminhos nos levam
a um horizonte único
onde o rastro do tempo se perpetua
no desejo de sermos manhãs.


José Lima Dias Júnior – 22.05.2014

quarta-feira, 21 de maio de 2014

A cegueira dos desejos

Imagem: Leszek Paradowski, fotógrafo polonês.


O corpo descobre
num inconsciente desejante e volitivo
que há um puro desejo nunca satisfeito
quando os instantes cravados na própria carne
se apresentam como uma fonte inesgotável de sofrimento.
Porém, o teu querer concentra-se por inteiro e indiviso
na medida em que meu corpo se lança a te conhecer.


José Lima Dias Júnior – 21.05.2014

terça-feira, 20 de maio de 2014

Em meio à solidão do vergel

Imagem: Tierry Doufour, fotógrafo francês. 


A força que vegeta e palpita
em meio à solidão do vergel
renegam as sementes que semeei.

Mas um impulso faz girar a agulha magnética
atraindo o homem para a terra e a terra para o sol
em referência a este querer cósmico.
Por ser ímpeto de vida, as flores acenam para a existência
transformando em júbilo as penúrias das criaturas
quando se descortina uma nova imagem do homem.


José Lima Dias Júnior – 20.05.2014

além do qual não se pode ir...

Imagem: David Mor, fotógrafo israelense.

Ancoremos na sabedoria de vida
para sermos menos infelizes no inferno
e assim não mais viveremos dominados
pelo entrechoque de múltiplos e desenfreados
egoísmos.

Em movimentos das mais variadas emoções e desejos,
o vosso espírito alegra-se quando constitui o núcleo do mundo,
de modo que esta é sua manifestação, desde a pedra até o homem
para detectar no fundo da minha subjetividade algo além do qual
não se pode ir.

José Lima Dias Júnior – 20.05.2014

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Em plena luz da manhã...

Imagem: Bella von Einsiedel, fotógrafa alemã.


O tempo em silêncio
noticia o despertar da manhã
enquanto a noite aproveitando o resto da tarde
acende suas luzes permitindo manifestar uma ideia,
uma força persuasiva que cria um objeto de matéria residual.

A realidade tão estilhaçada
reserva outra circunstância
como estorvar uma ação subversiva
em nenhum tempo e em nenhum lugar
onde a existência raras vezes observada
renasce alheia às desilusões
(que havia deixado atrás da porta)
para livremente ser aceita nessa simbiose humana.

José Lima Dias Júnior – 19.05.2014

O lacrimejar do tempo presente

Fotografia: Lee Jeffries, Inglaterra.

No desequilíbrio singular das forças,
o vento se atira como um açoite
diante da voragem dos dias causticantes.

Meus olhos cheios de esperanças
(em plena primavera)
devaneiam quando sua alma colhe
a poesia das manhãs.

Insanável dor que nos consomem
que exala em nós um canto fúnebre
onde na placidez da noite pendem dos vossos lábios
doces súplicas artificializando a imagem das figuras débeis.

Resta-me recolher
os instantes do tempo presente
para semear as flores do porvir
já que um abatimento penoso minam
as últimas forças do vosso espírito.



José Lima Dias Júnior – 19.05.2014

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Na distinta palidez

 
Imagem: Barbara Marin, fotógrafa italiana.

Dedico ao meu irmão, Ricardo Lima e a Rosenario Paulino, amigo-irmão.



Que seja a um só tempo
a intensidade poética
nesse jardim de metáforas
cujos múltiplos significados
repousam esperançosos
na distinta palidez das flores
com suas pétalas decaídas,
que tateadas pelo vento
reverenciam e celebram
os instantes marginais
das manhãs abissais.


José Lima Dias Júnior – 16.05.2014

A luz que transcende

Imagem: Mickael Lootens, fotógrafo francês.


Olhando-a, mesmo em sua forma mais errante,
a luz que transcende de longe torna a existência mais leve
em algum mundo diáfano onde o presente mesmo vago
não é livre de opressão já que as formas mentais cotidianas
transcorrem na imediação concreta da luta facciosa através
das quais os homens dão forma à sua experiência.


José Lima Dias Júnior – 16.05.2014

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Em silêncio

Imagem: Lee Jeffries, fotógrafo inglês.

Minha loucura viva, girando facilmente,
permeia os instantes produzindo coisas,
mesmo que os delírios de um transe social
cheguem a me reduzir ao silêncio.


José Lima Dias Júnior – 12.05.2014

domingo, 11 de maio de 2014

No percurso de nossas experiências

 
Imagem: Alastair Magnaldo, artista francês.

Percorri caminhos que me conduziram
à compreensão das imagens pasteurizadas,
do teatro das ruas e das realidades massificadas.

Romper os limites do real é se aproximar da liberdade
mesmo sabendo que as distintas realidades alteram-se,
transformam-se quando ambas são plenas de significados
e de lembranças vividas no percurso de nossas experiências
mesmo que nos encontros e desencontros das nossas existências
as representações simbólicas contenham uma pluralidade de interpretações.

José Lima Dias Júnior – 11.05.2014

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Na solidão das anêmonas azuis

Imagem: Mandy Disher, fotógrafa inglesa.

O vento,
uma vez distraído,
se movimenta deliberadamente
e banha com as águas do pranto das manhãs
a solidão das pétalas em abandono.

José Lima Dias Júnior – 08.05.2014


quarta-feira, 7 de maio de 2014

Transe

Fotografia: Lee Jeffries, fotógrafo inglês.


Parece-me que há entre as lágrimas e o riso
uma textura (in)completa de ações da vida comum.
Quando os demônios refletidos no espelho
acenam para um mundo impenetrável de ilusão,
os homens caem em transes violentos
espalhando o pânico para fora do seu mundo ordinário.

José Lima Dias Júnior – 07.05.2014

terça-feira, 6 de maio de 2014

Realismo ingênuo

Imagem: Marcos Gali, fotógrafo inglês.

Espalhei a minha fé
pelos quatro cantos da casa
com a esperança de viver
os últimos instantes mais serenos.

Seus olhos emitem gritos enervantes
que excessivamente brilham a meia-luz
quando saltam das órbitas elípticas.

Daí que o mundo sólido do senso comum
beira ao realismo ingênuo quando cria
uma aura verdadeiramente real.

José Lima Dias Júnior – 06.05.2014


Imagem: Marcos Gali, fotógrafo inglês.

Uma forma particular e olhar a vida

Imagem: Elena Bovo, fotógrafa italiana.

O tempo
faz os homens
se ajoelharem diariamente
ao ponto de ser ele o caminho
por onde transitam as criaturas.


Uma partícula sólida
metaboliza
(em instantes navegáveis)
para dentro do ventre
as coisas amorfas,
comumente presente
na estranha opacidade dos acontecimentos.


José Lima Dias Júnior – 05.05.2014

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Arcabouço cósmico


Sigo pela linha do horizonte e mergulho
num arcabouço cósmico muitas vezes impenetrável,
mas prenhe de realidades distintas e com seus temores crônicos.


José Lima Dias Júnior – 05.05.2014


domingo, 4 de maio de 2014

Incursões solitárias



Olhei fixamente o fio incandescente de uma lâmpada
e ouvi a voz do silêncio entoando silenciosamente
uma poesia sem pretensões duradouras de resistir a vastidão
mas entender o candente brilho
a fazer incursões solitárias na escuridão.


José Lima Dias Júnior – 04.05.2014

sábado, 3 de maio de 2014

Experiência humana

Imagem: Stefan Eisele, fotógrafo alemão.

Sombras platônicas vagueiam eternamente
numa neblina de entidades nebulosas, onde
os ritos modelam-se em conformidade com
um mundo intersubjetivo de compreensões
comuns.

José Lima Dias Júnior – 03.05.2014

Imagem: Stefan Eisele, fotógrafo alemão.

sexta-feira, 2 de maio de 2014

A inverdade


Quando a inverdade opera afetando,
distorcendo e modificando, de alguma forma,
os padrões preexistentes de um radical humano,
a verdade não se projeta até o último caminho final do seu intento
já que não expressa um comportamento cambiante e introspectivo.

José Lima Dias Júnior – 02.05.2014